ACN Brasil apresenta relatório sobre liberdade religiosa no mundo

ACN Brasil realizou um evento online de apresentação da 15° edição do Relatório sobre Liberdade Religiosa no Mundo

Na terça-feira, 27 de abril, a ACN Brasil realizou um evento online de apresentação do Relatório sobre Liberdade Religiosa no Mundo. O evento foi transmitido pelas mídias sociais da ACN BRASIL, e foi apresentado pelo jornalista Aldo Quiroga.

A 15ª edição do Relatório sobre Liberdade Religiosa no Mundo foi lançada oficialmente no dia 20 de abril e está disponível online. Trata-se do único estudo realizado por uma instituição católica publicado desde 1999 que abrange todas as religiões e analisa o respeito a este direito humano em todos os países do mundo (196).

DIREITO FUNDAMENTAL

Frei Rogério Lima, assistente eclesiástico da ACN Brasil, na mensagem de abertura destacou que o relatório não tem o objetivo de defender uma ou outra religião: “O objetivo é defender o direito fundamental de cada ser humano de ter ou não ter nenhuma religião”

LIBERDADE RELIGIOSA EM RISCO

A editora-chefe do relatório, Marcela Szymanski, comentou sobre os dados da perseguição religiosa no mundo. Segundo ela, o que é inadmissível é que 2/3 de toda a população mundial (1 a cada 3 seres humanos) vivem nos lugares onde as liberdades fundamentais estão em risco:

“Todos que cometem violação contra a liberdade religiosa tem como objetivo eliminar a diversidade religiosa do seu território e para isso usam em modo diferente o seu poder sobre os habitantes.”


LEIA TAMBÉM: CRESCE INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NO TERRITÓRIO BRASILEIRO


A PALAVRA DOS BISPOS PRESENTES

A live contou com as participações de Dom Walmor de Oliveira, Presidente da CNBB; Dom Odilo Scherer, Arcebispo de São Paulo; Dom Orani Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro e Dom Sérgio da Rocha, Arcebispo de Salvador. Cada bispo participante da live teve oportunidade de apresentar e comentar sobre assuntos a respeito da liberdade religiosa.

Dom Walmor disse durante a sua apresentação afirmou que a religião nunca deve ser motivo de divisão:

Quero ressaltar que a beleza singular do encontro com transcendente fortalece o coração humano gera resiliências e ao mesmo tempo inspira lucidez o que está em falta no contexto mundial e também na nossa sociedade brasileira. A religião saibamos, sempre deve ser ponte que nos une, nunca muros que inviabiliza uma convivialidade.

O mesmo bispo ainda destacou que a dimensão religiosa é imprescindível para se reconhecer o sentido da vida especialmente nos momentos de dificuldade, desafio e no confronto das adversidades.


seu apoio vale muito, assine a revista Mundo e Missão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *