Migração brasileira: em busca de uma nova vida

A cidadania Italiana tornou-se um tema recorrente em algumas famílias brasileiras que sonhavam um projeto de migração para seus filhos. A dupla cidadania como acesso ao sonho de uma vida nova na terra dos antepassados

A cidadania Italiana tornou-se um tema recorrente em algumas famílias brasileiras que sonhavam um projeto de migração para seus filhos. Devida a grande chegada de italianos ao Brasil no final do século 19, os seus descendentes passaram a procurar a dupla cidadania como acesso ao sonho de uma vida nova na terra dos antepassados.

Assim, milhares de brasileiros, particularmente estudantes e jovens profissionais, começam a aterrissar na Itália trazendo o projeto migratório num bolso, e a facilidade de chegar já com as garantias legais da cidadania, em outro.

A estabilidade econômica do Brasil na década de 1990 impulsionou a saída de brasileiros que conseguiram a cidadania Italiana. Como organizar um serviço pastoral para tais migrantes?

Capelania em Roma

Por conta da demanda crescente, em 1996 a congregação scalabriniana começou a organizar a capelania dos latino-americanos, com especial atenção aos brasileiros em Roma. Como comunidade, em tempos fora da pandemia, havia as missas dominicais presenciais, às 17h, na igreja Santa Maria della Luce, em Roma.

Como bons brasileiros, a comunidade se reunia tipicamente em torno da feijoada, com renda voltada à manutenção da própria comunidade, mas também beneficente, endereçada a uma comunidade carente no Brasil, como aconteceu recentemente, em vista da pandemia. O capelão é o padre Diógenes Casaril, scalabriniano.


LEIA TAMBÉM: MIGRANTES ENTRE BRASIL E PERU: SITUAÇÃO DIFÍCIL E TRÁFICO DE PESSOAS


Solidariedade

Em uma migração que mantém laços com descendentes de dupla cidadania, a solidariedade é bastante forte. Por isso, durante a pandemia, a capelania passou a ser uma referência importante para muitos brasileiros imigrados que perdem emprego e passam a viver em condições difíceis.

Consequentemente, precisaram de ajuda financeira e cestas básicas. Além disso, em momentos de falecimento de algum membro da comunidade, a ajuda solidária de outros membros é sempre presente.

12 de outubro

Pela facilidade da presença constante de vários bispos e cardeais brasileiros em Roma por motivos de viagem, a celebração da festa de Nossa Senhora Aparecida acaba sendo sempre um ponto alto da comunidade brasileira de Roma.

Dom João Braz de Aviz junto com a comunidade brasileira em Roma

Dom João Braz de Aviz tem sido bastante presente na comunidade brasileira de Roma. Ele celebrou a Missa de Nossa Aparecida no ano passado, e colabora com a comunidade brasileira, especialmente neste contexto difícil em que se encontram muitos brasileiros em Roma.

*Artigo escrito por padre Eduardo Gabriel, missionário Scalabriniano (Carlistas)

texto publicado na íntegra na seção “Migrantes e refugiados” na edição de junho/julho número 253° da revista Mundo e Missão. Gostou da matéria? Seja um nosso assinante

fotos: facebook.com/comunidadebrasileiraroma


doação ou assinatura mundo e missão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *