Na Índia um membro do parlamento pediu de expulsar missionários cristãos

rakesh sinha parlamento índia

Um membro do parlamento da Índia gostaria de expulsar missionários cristãos do país. A notícia foi divulgada pela agência do PIME, Asia News.

Segundo Rakesh Sinha, do Bharatiya Janata Party (BJP), partido nacionalista hindu do primeiro-ministro Narendra Modi, os sacerdotes cristãos estão arruinando a cultura dos adivasi (tribais) e se aproveitando do direito à liberdade religiosa.

O parlamentar disse isso em uma recente entrevista ao jornal Dainik Jagran, apoiando a campanha “Missionários cristãos, deixem a Índia”.


LEIA TAMBÉM: PREOCUPAÇÃO SOBRE ORDEM POLICIAL PARA MONITORAR CRISTÃOS NA ÍNDIA


O papel dos missionários na Índia

“O que Rakesh Sinha disse é um absurdo”, comentou padre Babu Joseph, ex-porta-voz da Conferência Episcopal da Índia. “Ações legais devem ser tomadas para suas declarações. Desta forma, calunia grande parte da população que tem todo o direito, garantido pela Constituição indiana, de professar a religião de sua escolha”.

O superintendente da polícia no distrito de Sukma, no estado indiano de Chhattisgarh, pediu à polícia para monitorar as atividades de missionários cristãos e convertidos tribais

Em seguida, Dom Joseph defendeu o trabalho que os missionários realizaram com as tribos indígenas: “Os tribais da Índia viveram uma vida de miséria durante séculos. Os missionários os ajudaram a melhorar sua condição por meio de educação e tratamento médico. É por isso que [Sinha] desconta nos cristãos?”.

Quantos são os cristãos na Índia?

Sajan K. George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indígenas (Gcic), também apontou o perigo das declarações de Sinha: “Já em 2018 ele escreveu tweets contra os missionários, chamando-os de ‘vestígios do colonialismo’ e condenando seu proselitismo”, mas o tema da conversão é usado pela extrema direita como ferramenta de propaganda.

De acordo com os números dos últimos censos governamentais, a porcentagem de cristãos na Índia permaneceu essencialmente inalterada: passou de 2,34% em 1991 para 2,34% em 2011.

Em Kerala, em 2020, o hinduísmo ganhou mais fidelidade com 47% de conversões religiosas totais. De 506 convertidos, 241 renunciaram ao cristianismo ou ao islamismo para abraçar o hinduísmo, enquanto 144 pessoas se tornaram muçulmanas e 119 cristãs.

doação ou assinatura mundo e missão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *