Vocações sacerdotais nas periferias do mundo

sacerdotes pime 2021

No Bangladesh, em 2020, 26 diáconos foram ordenados sacerdotes, o maior número já registrado na história do país. O do Bangladesh não é um caso: nas periferias do mundo estão crescendo as vocações sacerdotais, muitos jovens se sentem chamados a responder “Sim!” a Deus, em várias formas.

E muitos concordam que esses são os frutos do Espírito Santo mas também do trabalho missionário de evangelização, animação e formação humana e católica que os missionários, ao longo da história, desenvolveram nas áreas mais carentes e humildes do mundo, com povos que não conheciam Jesus e o Evangelho.

Vocações sacerdotais no Bangladesh surgem nas famílias tribais

Nos últimos 15 anos, um grande número de jovens ingressou no seminário. Dos 26 novos sacerdotes ordenados, 18 são diocesanos, 6 são da Congregação da Santa Cruz, um é jesuíta e um é do PIME.

sacerdotes bangladesh

E para que esses novos trabalhadores na vinha do Senhor descobrissem a vocação deles, um papel importante foi desenvolvido pelas famílias de origem.

Como contou numa entrevista à Agência Fides, padre Patrick Simon Gomes, Reitor do Seminário Maior do Espírito Santo, o único seminário nacional do Bangladesh: “Há um papel importante das famílias católicas na partilha de valores e ensinamentos de fé e, assim, na promoção das vocações”.


LEIA TAMBÉM: MALOTI HEMBROM, A HISTÓRIA DE UMA MULHER CATEQUISTA EM BANGLADESH


O reitor também informou que as vocações estão surgindo nas dioceses
de Rajshahi, Mymensingh e Dinajpur, onde vivem cristãos tribais e muitos deles são novos convertidos. E onde também os missionários do PIME trabalham há muitos anos.

“Para os meninos que estão no seminário, posso dizer com certeza que a família desempenhou um papel fundamental no apoio e favorecimento na escolha vocacional. Eles primeiro obtiveram treinamento cristão da família. Ouço os testemunhos dos seminaristas e eles dizem que as suas famílias lhes deram ensinamentos sobre a fé e os valores. Para aumentar a vocação ao sacerdócio, as famílias são fundamentais”, terminou o reitor.

Futuros missionários nos Camarões

Também nos Camarões estão florescendo muitas vocações sacerdotais. No dia 23 de maio, festa de Pentecostes, na paróquia de Notre Dame de Lourdes de Ntem-A-Si em Yaoundé foi celebrada uma missa com a promessa inicial de
agregação ao PIME e admissão dos candidatos ao diaconato e ao presbitério, e à atribuição do ministério da leitora a alguns seminaristas africanos.

Padre Danilo Fenaroli, superior regional do instituto, e os outros membros do PIME, acolheram esses novos coirmãos. “Os seminaristas africanos foram acolhidos na família dos apóstolos do PIME como candidatos à consagração missionária. Os sacerdotes presentes na missa vestiram os candidatos com a alva litúrgica, como sinal de que devem revestir-se do amor de Cristo por todos os homens”, contou.

Gervacio, Rodrigue e N’bali emitiram a promessa inicial, Arsène recebeu o leitorato. Os sacerdotes presentes na missa vestiram os candidatos com a alva litúrgica, como sinal de que devem revestir-se do amor de Cristo por todos os homens.

Agosto, mês das vocações sacerdotais: o nosso papel como cristãos

Todos os cristãos são chamados a rezar pelas vocações sacerdotais e missionárias. Mas também a anunciar o Evangelho, formar as pessoas que ainda não o conhecem. Nesse sentido, o papel da imprensa missionária e principalmente da nossa revista Mundo e Missão é ainda hoje fundamental.

“Toda nossa forma de divulgação deve ter como objetivo suscitar nas almas da juventude um maior fervor apostólico”, disse o hoje bem-aventurado padre Paulo Manna, missionário do PIME.

Que em uma carta aos coirmãos em missão dizia que “o fim principal da mensagem (missionária), tanto escrita como falada, deve ser o de suscitar vocações. A imprensa é realmente um meio essencial para a animação missionária”.


LEIA TAMBÉM: COMUNICAÇÃO GERA VOCAÇÃO


Divulgar a nossa revista e a sua mensagem é uma forma para fazer que muitos jovens se deixem inspirar pelo ardor missionário e possa escolher de dedicar a vida a levar a Palavra de Deus para o mundo inteiro.

Padre Almir Azevedo, sacerdote brasileiro, missionário do PIME no Bangladesh, é o exemplo vivente da missão que a nossa revista tem: o padre Almir morava no Maranhão numa área que nunca foi atingida pelo trabalho missionário do PIME.

Ele conheceu o instituto e se apaixonou pelo carisma “ad gentes” mesmo graças ao jornal “Missão Jovens”: “Eu era o coordenador da pastoral da juventude na paróquia, e o padre francês Denis apresentou-me o jornal Missão Jovem. Ele tinha a assinatura e ofereceu uma para a gente. Através do jornal eu conheci o PIME e vi a minha vocação missionária amadurecer”.

doação ou assinatura mundo e missão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *