A Importância da Bíblia na Vida dos Jovens

Estamos no mês da Bíblia, um mês temático, relacionado a São Jerônimo, que viveu no séc. IV d.C. e fez a tradução dos escritos sagrados do grego e do hebraico para o latim. Neste serviço, ele dedicou quase toda sua vida. O conjunto final de sua tradução da Bíblia, em latim, se chamou “Vulgata” e se tornou oficial no Concílio de Trento (séc. XVI d. C.). Desde 1947, celebra-se o dia da Bíblia em 30/09, data de morte do santo.

Em 1971, a Arquidiocese de Belo Horizonte (MG), propôs uma ação bíblica, por ocasião da comemoração de seus 50 anos de existência. O período escolhido para os estudos bíblicos foi o mês de setembro, por causa da memória de São Jerônimo. Nos anos seguintes, a iniciativa se espalhou e a CNBB assumiu o mês comemorativo, instituindo oficialmente para todo o Brasil. Atualmente, além do Brasil, vários países da América Latina e África dedicam o mês de setembro à Sagrada Escritura.

Créd. Projeto Gospel

Dias atrás, um jovem me fez a seguinte pergunta: “A Bíblia é importante para os jovens?” Minha resposta não poderia ser outra: “Com certeza!” Ele me perguntou o porquê? Então apontei-lhe 07 razões:

  1. Para se afirmar cristão: Jesus assegurou que são “Felizes são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 11,28); e que o exercício orante e vivencial da Palavra nos torna seus irmãos e seus pais (cf. Mt 12, 50). Como o jovem se afirmará “cristão”, discípulo e seguidor de Jesus, desconhecendo a Palavra de Deus?
  2. Para conhecer e anunciar Jesus Cristo: O centro da Bíblia é Jesus Cristo, o Messias enviado, que revela o Pai e a plenitude do seu amor. Ler e rezar a Bíblia, nos faz conhecer e atestar o Mestre. Como o jovem falará de Jesus Cristo, se o ignora como Palavra encarnada (cf. Jo 1,14), que habitou em nosso meio, morreu, ressuscitou, está vivo entre nós e no final dos tempos voltará glorioso para encerrar a história?
  3. Para testemunhar a o amor: A Bíblia apresenta a fé na realidade humana, basta ler nos evangelhos a práxis de Jesus com relação aos sofredores, suas atitudes de compaixão e solidariedade. Como o jovem sonhará para si e para as pessoas, um mundo justo, fraterno e solidário, pautado no ideal cristão? Sua pregação será ideológica e suas ações poderão se resumir em filantropia, não em caridade.
  4. Para ter uma existência iluminada: “A Palavra de Deus é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho” (Sl119,105). Como o jovem norteará a sua existência, sem a escuta de Deus, através da sua Palavra? Seu caminho será tenebroso e sem luz…
  5. Para rezar com coerência: “Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu” (Mt 6,10). Como o jovem rezará esta súplica do Pai Nosso, ensinada por Jesus, indiferente à Palavra de Deus, que é o único meio de “descobrirmos” a vontade do Senhor, em nossas vidas?
  6. Para sentir-se um com os outros e com o planeta: A Bíblia nos dá a certeza de que, a natureza saiu das mãos de Deus, como primeira comunicação do seu amor pelos seres humanos, e que estamos integrados com este universo maravilhoso. Ao mesmo tempo que não estamos sozinhos nas tempestades da vida, como nesta pandemia; que a esperança é a chama que deve ser alimentada em todas as situações e ocasiões; e que o amor é o remédio que cura as feridas da alma e salva os filhos e filhas de Deus, demonstrado por Jesus na violência da cruz. Como imaginar um jovem distante dessa realidade da fé?
  7. Para ser santo como o Pai do céu é santo: Enfim, a Palavra “é útil para ensinar e para convencer, para corrigir e para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e preparado para as boas obras” (2Tm 3, 16-17), de tal forma que podemos afirmar com São Jerônimo: “Quando rezamos falamos a Deus, mas quando lemos a Sagrada Escritura, Deus fala conosco.”
Cred.depositphotos

Aquele jovem que fez me fez a pergunta, concluiu: “Posso, então, afirmar que a Bíblia coloca o jovem frente a um espelho, mostrando a sua história (passado, presente e futuro), alimentando seus sonhos e utopias, interpelando-o a buscar sempre mais a vida para si e para os outros, a caminho do céu? E confirmei: “Correto! Por isso não deveríamos cansar de repetir, como Santo Irineu: Amo e beijo a Tua Palavra, Senhor, que me alimenta faminto!”

Jovens, convido-vos para que, neste mês de setembro, vocês tirem um tempo e tomem nas mãos a Bíblia Sagrada; façam a leitura orante, pelo menos do Evangelho do dia. Este método sugere: Leitura (o que diz o texto?), meditação (o que o texto me diz?), oração (o que o texto me faz dizer a Deus?) e contemplação (ver as realidades com os olhos de Deus). Tenho certeza, que este jeito de ler e rezar a Palavra diariamente, vos tornará mais leves, alegres e plenamente conectados com o mundo… Dispostos a transformar as realidades de dor e morte, em sinais de esperança e vida. Dessa forma vocês estarão sendo, “evangelhos vivos!”

Abraço fraterno.
Deus vos abençoe!

Por Dom Amilton Manoel da Silva, CP, bispo diocesano de Guarapuava- PR
e membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude CNBB


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *